Ghost: O WordPress agora tem um fantasma na sua cola

Ghost CMS

ghost_conteudo_blogLá em 2011 o John O’Nolan, um designer que já havia trabalhado no time de designers do WordPress, publicou um post em seu blog pessoal criticando os caminhos que o WordPress havia tomado.

Sendo usuário de sistema de blogs desde seus primórdios, ele se sentia descontente porque o WordPress havia passado de “apenas uma plataforma de blogging” para um sistema de gestão de conteúdos completo (full featured CMS).

Mas John não ficou só na crítica. O post na verdade é um belo ensaio de design e o conceito proposto por ele, através de belos protótipos, chamou muita atenção.

Chamou tanta atenção que ele resolveu criar uma campanha no kickstarter (site de financiamento coletivo) e arrecadou mais de 300 mil dólares. Impressionante o que um bom designer com boa capacidade capacidade de comunicação pode fazer…

E o fantasma realmente apareceu

Painel de controle do GhostAssim como o WordPress, o Ghost é Open Source e em setembro de 2013 foi lançado seu código publicamente. Diversas pessoas já começaram a testar a plataforma. A aceitação tem sido boa e o sistema parece promissor. Por enquanto, para utilizar a plataforma, é necessário ter algum conhecimento de gestão de servidores linux. Em janeiro de 2014 será lançada a versão “hosted” do Ghost, que seria equivalente ao wordpress.com.

Vale a pena migrar?

Ainda é cedo para dizer se a plataforma terá adesão o suficiente para se manter competitiva. Mas na verdade tenho dúvidas em relação ao conceito. Explico: acredito que é grande parte do sucesso do WordPress é justamente por ele ter evoluído dessa forma.

Realmente as vezes acho ruim ter que lidar com tantos plugins no WordPress, mas eles resolvem demandas reais. Uma pessoa quer a possibilidade de ter um site multi-lingual. Outro que criar uma pequena seção com um portifólio, outro que fazer otimização fina de SEO e por aí vai…

Não sei exatamente como o pessoal do Ghost vai lidar com essa questão dos plugins, mas, acho que vão ter que ser muito firmes para sustentar essa posição de “apenas uma plataforma para blog”.

Ainda em relação ao conceito, gosto muito da ideia de um CMS em node.js, mas um CMS. Que permita no mínimo a criação de custom post types, que para mim foi a “grande virada” para o WordPress.

E a hospedagem?

Já que estamos falando da versão “instalada” das duas plataformas é importante considerar a hospedagem. A grande diferença é que no caso do WordPress existem as hospedagens compartilhadas e você não precisa de administrar uma VPS.

Enquanto o mercado de soluções de hospedagens em node.js (e do Ghost) não amadurece, manter websites WordPress continuará sendo mais barato.

Para hospedar o Ghost você vai precisar de um VPS e a opção com melhor custo benefícios é a Digital Ocean, que oferece planos à partir de U$5,00. Com os mesmos U$5 no bluehost, que é uma hospedagem que atende todos os requisitos para um site em WordPress, você pode manter até uns 10 websites WordPress (de pouco acesso) sem problemas.

Deixe aqui seu comentário